Poucas coisas são piores que receber um produto há muito esperado e se decepcionar com ele. Uma delas, certamente, é receber algo totalmente diferente do que foi comprado. Foi o que aconteceu com Lilian Estavanato, de 32 anos, que comprou um iPhone 12 Pro e recebeu em casa um saco de areia.

A publicitária de Brasília conta à Isto É que comprou o smartphone por R$ 8 mil no site das Casas Bahia no dia 28 de janeiro (última quinta-feira), e recebeu o “produto” em casa, em embalagem lacrada, na segunda-feira (1). “Achei a entrega rápida”, disse ela.

publicidade

Mas ao abrir a caixa, veio a surpresa: “Não desconfiei de nada quando recebi a encomenda. Veio, inclusive, na caixinha do iPhone, estava lacrada. Quando abri e vi o saco de areia entrei em desespero, sem saber o que fazer. Pensei que tinha caído em um golpe, comprado por um site falso”.

Lilian contatou imediatamente o atendimento das Casas Bahia, mas ouviu que precisaria esperar dez dias para que o caso fosse avaliado. “Eu questionei, porque não se trata de atraso na entrega de um pedido ou outras demandas comuns. Paguei R$ 8 mil e recebi um saco de areia. Acionei a loja por todos os canais possíveis, registrei o caso no Reclame Aqui e fiz uma publicação nas minhas redes sociais”, disse.

Lilian afirma que tomou cuidado ao escolher a loja ond fazer a compra. “Obviamente busquei um site confiável para fazer a compra… escolhi as Casas Bahia pq estava com um descontinho à vista. Sem marketplace – vendido e entregue pelas Casas Bahia”, diz ela.

publicidade

Marketplace se refere ao sistema no qual uma loja pequena usa o site, sistema de cobrança e logística de um grande varejista para vender seus produtos.

É uma prática bastante comum que traz benefícios para a loja, que ganha em visibilidade de seu estoque, e para o varejista, que diversifica seu portfólio de produtos. Entretanto, pode levar a dores de cabeça caso o lojista não seja idôneo e esteja usando o varejista como “fachada” para legitimizar um golpe.

Foi somente após sua reclamação ganhar força nas redes sociais que a empresa retornou o contato, sugerindo a devolução do dinheiro ou a entrega de um novo aparelho. A publicitária optou pelo aparelho.

Não foi a primeira vez que um iPhone “virou” areia

Segundo Lilian, “o que chamou a atenção foi que, ao pesquisar sobre o caso e registrar a reclamação, descobri que dezenas de pessoas passaram pela mesma situação. Nem todas conseguiram a restituição”.

De fato, em uma busca pelo Reclame Aqui encontramos rapidamente uma reclamação de uma consumidora de Aracaju (SE) que em meados de dezembro comprou um iPhone 11 Red de 128 GB também nas Casas Bahia. Quando o produto foi entregue, dentro da caixa havia “uma embalagem plástica de hidratante/sabonete com areia dentro”,

Até o momento, a única resposta da empresa foi uma mensagem padrão dizendo: “Caso perceba que as coisas não estão acontecendo conforme informado, pedimos que entre em contato conosco”.

Fonte: Isto É





Source link