A psicologia perinatal oferece apoio psicológico durante a gravidez, o parto e o pós-parto

A decisão de ter um bebê passa por diversas etapas, que podem ir desde a ansiedade causada pelas tentativas de engravidar e o medo do parto até problemas familiares e depressão pós-parto. A psicologia perinatal existe para enfrentar essas e outras situações, ajudando a mulher a lidar com expectativas, frustrações e mudanças que acontecem durante essa fase da vida.

Elaboramos este artigo para ajudar a entender mais sobre a importância de ter esse acompanhamento. Siga com a leitura, veja como o psicólogo pode ajudar os casais que desejam a vivência da maternidade e saiba quando procurar esse profissional.

O que é psicologia perinatal?

A psicologia perinatal é a área da psicologia que oferece suporte para a mulher desde a concepção, passando pelo desenvolvimento da gestação, parto, pós-parto e criação da criança. Essa especialidade ajuda casais que planejam ter um filho, mas apresentam a necessidade de acompanhamento psicoterápico.

Muitas vezes, a gestante não encontra um ambiente adequado nessa fase da vida, enfrentando problemas conjugais ou a interferência de familiares, o que pode deixar sequelas psicológicas. Situações como gravidez indesejada e problemas de saúde da mãe ou do bebê também podem ocorrer. Os temas mais comuns abordados pelo psicólogo perinatal são:

  • problemas relacionados à fertilidade;
  • reprodução assistida;
  • receio do momento do parto;
  • parto traumático;
  • ansiedade durante a gestação;
  • depressão pós-parto;
  • adaptação da mãe ou pai à chegada do bebê;
  • inclusão do pai no processo da gravidez;
  • criação de vínculo de maneira saudável;
  • violência obstétrica;
  • abuso sexual;
  • morte do bebê.

O profissional dessa área aborda essas e outras questões, de modo a identificar indícios que possam afetar a saúde mental ou a integridade da mãe e da criança. A atuação pode ser tanto no contexto de psicoterapia clínica quanto com psicoterapia breve, considerando o tempo de gravidez ou o pós-parto.

Lembrando que, para identificar possíveis patologias físicas ou psicológicas e poder atuar antes do surgimento de problemas, o recomendado é realizar um trabalho interdimensional. Assim, pode ser necessário envolver o acompanhamento de uma assistente social, enfermeiros, médicos e psiquiatras.

Shutterstock A psicologia perinatal pode ajudar os pais antes e após a gravidez

Como esse profissional pode ajudar?

Quando a mulher ou o casal decide ter um bebê, sempre existe a possibilidade de que algo ocorra de maneira inesperada. Nesse caso, o psicólogo perinatal contribui para que seja possível adaptar-se à nova situação. O profissional trabalha também na vivência da gravidez pela mulher e após o parto.

Para isso, ele analisa os pensamentos da gestante sobre a maternidade e como ela se enxerga como mãe e mulher. Considerando a fala da paciente, avalia os possíveis sintomas que podem influenciar negativamente essa fase.

Nesse momento da vida, a gestante está passando por mudanças psicológicas, físicas e hormonais. Assim, por meio da abordagem do psicólogo, é possível identificar, por exemplo, características que indicam depressão, como irritabilidade, apatia e crises de choro.

O profissional ainda pode acompanhar famílias que estejam passando por um processo de adoção. Nesse caso, ele realiza o acompanhamento do casal desde a fase de espera pela criança até o período da concretização e adaptação.

Quando procurar um psicólogo perinatal?

Não há um momento considerado certo para buscar por assistência psicológica perinatal. O mais indicado é agir quando a mulher considerar necessário. O psicólogo perinatal é bastante recomendado para ajudar, por exemplo, a minimizar a tensão que surge após tentativas frustradas de engravidar.

A psicologia perinatal é fundamental para acompanhar e orientar nos momentos de ansiedade, insegurança, medo, pânico ou outras situações durante a gravidez e pós-parto que prejudiquem a qualidade de vida da mulher. Isso vai contribuir para que o ambiente familiar seja mais adequado não apenas para a gestante, mas também para o seu bebê.

Gostou deste conteúdo? Se você está com dificuldades de conceber, saiba quando procurar um tratamento para engravidar.

Nos conte o que você acha!



Source link