Se fosse brasileira, a canadense Angie Carriere certamente seria uma candidata para ganhar a Mega-Sena. Isso porque a sorte da moradora da cidade de Saskatoon, no Canadá, parece ser algo fora do comum: após derrubar seu iPhone e um lago congelado, Carriere conseguiu recuperar seu aparelho, que voltou a funcionar.

De acordo com o relato concedido ao veículo local CTV News, Carriere estava comemorando seu 50° aniversário no lago canadense Waskesiu, junto de seus amigos e familiares.

publicidade

Tudo estava dentro dos conformes até que uma das barracas que abrigava os convidados começou a se desmanchar. A canadense não pensou duas vezes e agiu rápido para segurar a tenda. O “mero detalhe” é que a ação derrubou o iPhone 11 que estava nas mãos de Carriere.

O dispositivo da Apple caiu justamente em um buraco no gelo e foi parar no fundo do lago. Carriere relata que era possível visualizar o iPhone através das águas cristalinas, mas alcançá-lo seria quase impossível. Para muitos, o evento seria um “adeus” para o celular de aproximadamente R$ 4 mil. Mas não para a canadense.

Carriere decidiu voltar ao local 30 dias após o incidente, munida de um localizador de peixes (uma câmera subaquática) e de um ímã preso em uma linha de pesca. A ideia era recuperar o aparelho e tentar trocar o dispositivo em uma das lojas da Apple. Não foi preciso.

Celular ficou intacto, mesmo após passar um mês submerso em lago congelado. Foto: Dmytriy Fursov/Shutterstock

Leia mais:

Isso porque após dias de tentativas frustradas, Carriere finalmente conseguiu resgatar seu iPhone 11 das profundezas do lago Waskesiu. O que ela não esperava era que o dispositivo estivesse funcionando, mesmo após passar um mês submerso em baixas temperaturas.

O único problema era que a câmera apresentava uma imagem embaçada, mas felizmente, o contratempo foi resolvido naturalmente. “Não há nada no celular que não esteja funcionando, é incrível”, celebrou a canadense.

A história de Carriere, no entanto, pode ser considerada como uma grande exceção. Segundo o especialista Curtis Paradis, ouvido pela CTV News, o iPhone resistiria no máximo por 30 minutos antes de sofrer danos irreversíveis. Sorte a dela.

Fonte: Uol





Source link